Hub On Demand: entenda melhor a nossa nova iniciativa

A hubber Areta de Barros entrou para o time de On Demand com o objetivo de construir, através de sua grande experiência de mercado, a estratégia para formação da marca. Nesse bate-papo, ela conta um pouco sobre esse novo momento de Recrutamento & Seleção e como a Hub On Demand atenderá às novas necessidades.

 

1) Por que o mercado de early talents (jovens talentos) é tão importante e atrai tanto a atenção das empresas?

Os programas de early talents são uma importante porta de entrada em grande parte das empresas. Eles atraem os jovens que estão, digamos, na fase final da vida universitária, formam esses profissionais para a cultura e para a vida corporativa, e muitas vezes ainda projetam uma trilha de carreira para que eles cheguem até a alta liderança. Além disso, são uma ótima forma de vender a marca empregadora, pois o mercado de jovens é muito amplo e o nome da empresa reverbera em diversos níveis. É portanto uma grande vitrine já que os jovens oxigenam e levam ousadia às empresas, o que acaba sendo um importante diferencial competitivo. Cuidar de early talents é cuidar do futuro e pensar no potencial da sua empresa.

 

2) O que mudou neste mercado nos últimos anos? Como era no passado e como é hoje?

Quando comecei em early talents há 8 anos, a gente falava basicamente em colocar cartazes nas faculdades. Lembro da equipe mandando dezenas de cartazes para fixar nos murais. A gente também pouco considerava as experiências que aqueles trainees e jovens profissionais já traziam na bagagem. Era perguntado somente se a pessoa tinha ou não feito um intercâmbio e ponto final. Tudo isso mudou consideravelmente. Hoje em dia, por exemplo, as experiências e vivências contam muito (por exemplo: trabalho em empresa jr, voluntariado, vivência de intercâmbio associado com trabalho, etc). Outro ponto é que hoje a atração está nas redes sociais, na indicação de amigos, em posts patrocinados, em ações direcionadas para os públicos, em iniciativas menos pulverizadas. Os jovens também têm mais certeza sobre quais empresas eles querem trabalhar, portanto procuram ser mais direcionados e assertivos, bem diferente de antes quando se candidatavam à todas…

 

3) Por que é importante desenvolver uma experiência bacana para o early talent?

É importante pois os jovens que passam pelo processo seletivo de um programa acabam sendo embaixadores da marca no mercado, consequentemente eles fazem e ajudam a fazer com que a empresa seja desejada pelos melhores profissionais.

 

4) O que as principais empresas buscam hoje quando contratam um processo seletivo de early talents? Menor preço? Menos tempo? Quantidade de candidatos? Fit cultural?

Acredito que o drive de tempo, tendo em vista que há processos que duram 6 meses, é sempre importante. Porém, o diferencial dos processos depende muito de cliente para cliente. Pode ser inovação, presença em algum lugar específico do país, experiência UAU… Não há um padrão do que os clientes querem. O que eu percebo é que por trás de todo o CNPJ tem um CPF, e são esses CPFs que circulam nos bastidores que verdadeiramente compram e vendem nossa marca. Ouvir esse cliente é o mais importante, entender quais as especificidades e sensibilidades vai muito além da ação de simplesmente preencher vagas.

 

5) Falando em volume, que tipo de empresa e vagas estamos falando?

Estamos falando de empresas que tenham programas de estágio (com entradas específicas – como por exemplo estagiários que só podem ser contratados em janeiro e agosto – ou contínuas), programas de trainee e talent pools (empresas que precisam repor um determinado perfil com muita frequência e já querem ter candidatos pré-avaliados, que vão abrir uma operação em algum lugar novo ou que tem muita rotatividade). Em questão de tamanho, são empresas de grande porte, pois dificilmente uma startup vai ter demandas específicas que Hub On Demand possa atender.

 

6) Por que é tão difícil montar um pool de talentos? Quais são as dificuldades hoje do mercado e como a Hub On demand pretende melhorar esse aspecto?

É difícil montar um pool de talentos por que você precisa unir segurança da informação e inovação. Os clientes querem um processo que pense R&S de forma diferente, mas que não perca o básico de um bom processo (dar retorno para todos os candidatos, por exemplo). Hub on Demand vem para repensar tudo: desde a forma como o processo é conduzido até a forma de precificar para o cliente, pois a possibilidade de adaptação à necessidade torna tudo possível. Nossa ambição não é ser enorme, mas sim fazer grandes e bons processos no estilo de consultoria mais próximo ao boutique. Nas nossas visitas comerciais, os clientes têm percebido a diferença de Hub on Demand, principalmente que os processos e as propostas comerciais podem ser descomplicados.

 

7) O que as pessoas (candidatos) esperam de um processo seletivo?

Naturalmente, eles sempre esperam passar, é claro, mas como infelizmente não há vagas para todos podemos dizer que eles esperam ser observados e compreendidos. Eles querem ter certeza que alguém olhou para eles e os avaliou “corretamente”, entendendo profundamente suas particularidades, desejos e características.