O primeiro dia do estagiário a gente nunca esquece - Hub HR Thinking

O primeiro dia do estagiário a gente nunca esquece

Por Caroline Carvalho em 18/ago/2017

opsss

O primeiro ano da faculdade é uma grande virada na vida de alguém. Eu terminei o ensino médio e decidi que entraria em um curso superior no ano seguinte, mesmo não estando tão decidida sobre a minha escolha profissional, afinal, são milhares de opções de cursos em milhares de instituições.

Eu sempre tive dificuldade para fazer decisões, mas algo me dizia que independente das minhas escolhas iniciais, tudo daria certo no final. Entrei na faculdade para cursar Publicidade e Propaganda e tive que largar um emprego que consegui nas férias de janeiro pois a carga horária não se encaixava com os horários da minha aula. O problema é que eu precisava de um emprego, precisava pagar a minha faculdade, começar a minha independência financeira, e também amadurecer como pessoa e como profissional no mercado de trabalho.

Então a saga em busca de um estágio começava: foram horas e horas na frente da tela do computador procurando entrevistas para fazer.  E  neste momento confrontei o primeiro grande dilema do estagiário: é preciso ter experiência para ter uma oportunidade, ou uma oportunidade para ter experiência?”.

No meu ponto de vista, algumas empresas não se arriscam na contratação de estagiários. Sei disso porque já trabalhei no atendimento de uma empresa de recrutamento de estagiários, e muitos RHs não entendiam os benefícios de contratar um estudante nessa modalidade. A segunda dificuldade para se conseguir o primeiro estágio é o fato de que as empresas dão preferência por pessoas que estão mais avançadas no curso ou então pessoas que já tivessem trabalhado na área, apesar dessas informações nem sempre estarem disponíveis no anúncio da vaga.

Foi assim que fui em busca da minha primeira oportunidade: ainda no primeiro ano de faculdade e sem experiência de mercado.  Eu não desisti pois tinha em mente que existem empresas que valorizam o potencial de uma pessoa independente da experiência. E foi aí que eu encontrei a Hub Talent.

A Hub é uma empresa completamente diferente do que eu havia experienciado anteriormente. Desde o começo do processo seletivo você percebe que o curriculum não é necessariamente a informação mais importante, nem mesmo o seu tempo de experiência, quantidade de cursos ou instituição. Durante todo o processo seletivo as conversas sempre foram sobre o que eu havia aprendido na escola da vida: coisas que aprendi antes mesmo de entrar na faculdade, experiências que tive na minha vida que eram relacionadas com a minha área, não necessariamente no mercado de trabalho. Fiquei muito surpresa com a forma como fluiu o processo seletivo, e vi que o lema “O que importa são as pessoas” não é algo que fica apenas no papel, mas está sim na prática da empresa, no dia a dia e nos processos seletivos.

Meu processo de integração também foi impressionante, todas as pessoas da empresa te tratam muito bem, desde o seu primeiro dia e isso se mantém até o dia em que vocês se tornam amigos.

Após 3 meses como uma hubber, consigo dizer que trabalho em uma empresa na qual eu acordo feliz todos os dias sabendo que faço parte dela – parece brincadeira, mas não é – pois na Hub as pessoas tornam o ambiente corporativo mais aconchegante. São colegas de trabalho que riem nos momentos mais estressantes, que estão preocupados com o nosso bem-estar e psicológico, e mais uma vez: preocupados com cada um como pessoa.

Agora estou no segundo semestre da faculdade, e se eu não estivesse estagiando na Hub, minha experiência seria completamente diferente. Muitas vezes vejo cases e tópicos na faculdade e já presenciei os mesmos na prática, inclusive já tive a oportunidade de participar de uma Masterclass de Design Thinking. Percebi que o que dizem sobre a importância do estágio é verdade: Quando você aprende na teoria (na faculdade) e aplica na prática (no estágio), a chance de você absorver o conteúdo é bem maior. E eu sou muito feliz hoje em dia por trabalhar na Hub/Air Branding, como estagiária de comunicação. Estágio não é fácil, muitas vezes você vai se sentir incapaz, você vai sentir que não está evoluindo, que não está sendo bom ou boa o bastante, mas o mais importante, na minha visão, é estar em uma empresa que você se sente à vontade para tentar, aprender e crescer, e isso é algo que eu sinto muito aqui. Me apaixonei pelo jeito hubber de ser, pelo carinho, profissionalismo e empatia em todos os colaboradores. Além disso, o meu trabalho nunca se torna rotineiro, porque estou em algo diferente e desafiador para mim todos os dias. Tenho a oportunidade de explorar minha criatividade, de aprender com outras áreas e de adquirir experiências observando a forma de trabalho dos hubbers. Em nenhum momento fui deixada de lado por ser “a estagiária”, pelo contrário, fui chamada para acompanhar projetos que me ajudaram a aprender algo, afinal é para isso que serve o estágio.

Logo, o que eu mais recomendo para qualquer pessoa que está procurando um estágio atualmente é que você procure uma empresa que te faça feliz, que te ensine, que não te explore e que te faça se apaixonar por aquilo que você faz. Não se acomode com uma empresa que não lhe valoriza, ou que te faz infeliz, porque você merece mais do que isso. Como disse o ex jogador de futebol americano Jim Brown: “Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem ansiosamente no futuro esquecem do presente de forma que acabam por não viver nem no presente nem no futuro. E vivem como se nunca fossem morrer… e morrem como se nunca tivessem vivido.”

E por fim, para comemorar esse dia tão especial, construí os 10 mandamentos do estagiário, baseando-me na minha experiência aqui. Confira:

1 – Amarás o seu estágio porque ele atenderá às suas expectativas;

2 – Não se irritarás com o seu trabalho em vão;

3 – Dormirás menos que 8 horas por dia, mas não deixarás que isso abale o seu humor;

4 – Honrarás o seu auxílio refeição;

5 – Não aceitarás ser desvalorizado pelos seus colegas de trabalho;

6 – Não temerás dizer suas ideias, por medo de não serem aceitas: você está lá para aprender;

7 – Não negarás uma oportunidade de expandir seu conhecimento;

8 – Não diminuirás o seu trabalho por medo de não ser suficiente;

9 – Se esforçarás para auxiliar no crescimento e desenvolvimento da sua empresa;

10 – Não cobiçarás os estágios alheios. Valorizarás o seu.

Por Carol Carvalho, estagiária da Hub

mm
Caroline Carvalho